quarta-feira, 30 de abril de 2008

Macaúbas Ontem e Hoje


Macaúbas Ontem

O Recolhimento de Macaúbas foi uma instituição religiosa fundada por Félix da Costa, natural de Penedo, naquele tempo Pernambuco, hoje, Alagoas.

Histórico:
Com a morte do pai, chefiada a família pelo irmão mais velho, Capitão Manoel da Costa Soares, Félix da Costa parte de Penedo, sobe o rio São Francisco e, três anos depois, chega ao sítio denominado Macaúbas, em território da recém criada Vila de Nossa Senhora da Conceição de Sabará, onde se estabeleceu em casas adquiridas de Antônio da Silva. Isso no ano de 1711. Félix, que era grande devoto da Imaculada Conceição, desejava fazer algo em honra da Virgem. Além de querer tornar-se religioso, disse ter visto, durante a sua viagem para Minas Gerais, às margens do Rio das Velhas, um monge, vestindo hábito branco, com escapulário e manto azul e um chapéu caído nas costas. Porém, tal visão, de súbito desapareceu. Foi este o ponto de partida para a fundação do Recolhimento de Macaúbas.
Em 1712, Félix da Costa segue para o Rio de Janeiro, cuja diocese pertencia Minas Gerais. Com certa facilidade consegue ser recebido pelo Bispo Dom Frei Francisco de São Jerônimo, que depois de ter ouvido a narração da aparição fez-lhe algumas perguntas, entre as quais, se tinha visto alguma outra vez o hábito que o monge vestia em sua visão. Felix disse-lhe que aquela havia sido a primeira. Dom Frei Francisco de São Jerônimo afirmou-lhe que o hábito era o da Ordem da Imaculada Conceição. Em 08 de maio de 1712, depois de pôr à prova sua vocação, o Bispo benzeu-lhe o hábito, dando-lhe licença para usá-lo e também permissão para angariar esmolas para a construção de uma Ermida sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição. Em uma segunda viagem ao Rio de Janeiro, obtém licença para a fundação de um Recolhimento, bem como o uso do hábito da Ordem da Imaculada Conceição por suas irmãs e sobrinhas.
Em seguida, Félix da Costa percorre os arraiais mineiros, levando ao pescoço pequeno oratório com a imagem de Nossa Senhora, e arrecada esmolas para a edificação do Recolhimento. Em 12 de agosto de 1714, Félix consegue dar início à construção da Ermida.
Em 01 de janeiro de 1716, o Padre Lourenço Valadares, Vigário de Roça Grande, benze o Santuário e, no dia seguinte, entram para o Recolhimento doze jovens, sete das quais eram irmãs e sobrinhas do Fundador. Estava, pois, lançada a em terra de Macaúbas, por Félix da Costa, a semente que logo frutificou...e como! As Recolhidas passaram a observar certas normas de vida religiosa, como Adoração ao Santíssimo Sacramento e Ofício Divino no Coro. E o Recolhimento logo se expande com a admissão de novas Recolhidas.
Em 1727, o então Bispo do Rio de Janeiro, Dom Antônio de Guadalupe, autoriza a construção de um novo prédio, mais amplo.
Em 1733 tem início a construção desse novo prédio. Em 1727, depois da visita de Dom Antônio de Guadalupe, surgiram as primeiras normas pelas quais deveriam reger-se as Recolhidas. Os Estatutos, propriamente ditos, que mais tarde seriam levados a Portugal pelo Padre Manoel Dias Lana, no processo de Recolhimento régio da Instituição, foram dados pelo Bispo de Mariana, Dom Manoel da Cruz, em 1750.
Em 23 de setembro de 1789, a Rainha de Portugal, Dona Maria I, por ato régio aprova as normas e toma o Recolhimento sob a sua proteção.
As Recolhidas sempre se dedicaram à educação de jovens; consta que em 1826 já se educavam meninas em Macaúbas.
Em 1847, o então Recolhimento passa a ser Recolhimento e Colégio, graças à pastoral do Bispo de Mariana Dom Antônio Ferreira Viçoso, que encarregou o Padre Antônio Afonso de Morais Torres, superior do Caraça, a responsabilidade de instalar o Colégio, que foi logo reconhecido.
No Colégio aprendiam a ler, escrever, contar, gramática portuguesa, geografia, música vocal e instrumental, piano, coser, bordado, arte de florista, doutrina cristã, civilidade e tudo necessário à uma boa mãe de família. Ele funcionou até os anos de 1929.

Macaúbas Hoje

Foi em 1926, ano da beatificação de Madre Beatriz da Silva e Menezes, Fundadora da Ordem da Imaculada Conceição, quando Dom Antônio dos Santos Cabral fundava a Diocese de Belo Horizonte e desejava instalar na mesma um Mosteiro de contemplativas e dirigiu o convite às Recolhidas de Macaúbas para que o Recolhimento se incorporasse à Ordem da Imaculada Conceição. E era este o desejo das mesmas.
A primeira carta para o Recolhimento nesse sentido foi endereçada na data de 26 de setembro de 1926 e assinada por Sóror Amália de Santa Cecília, Vigária do Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição da Ajuda, no Rio de Janeiro. Sendo as Recolhidas de clausura diocesana, propuseram-lhe pedir licença ao então Sr. Bispo Dom Antônio dos Santos Cabral para o encaminhamento dessa realização e assim o Recolhimento, incorporado à Ordem, se tornaria um Mosteiro de Clausura Papal. A carta foi logo respondida afirmativamente por Irmã Ana Clemência, e a alegria das Recolhidas foi imensa!
O “SIM” de Roma foi dado em 29 de outubro de1932, mas só em 16 de janeiro de 1933 a Irmãs do Mosteiro da Ajuda receberam a comunicação oficial, e as Irmãs de Macaúbas em fevereiro de 1933. Madre Maria Inês de Sant’Ana, Sóror Maria Amália de Santa Cecília e Sóror Angelina de Santo Antônio receberam autorização para saírem do Mosteiro da Ajuda para concretizarem a incorporação do Recolhimento na Ordem da Imaculada Conceição, aqui chegando a 23 de abril de 1933. Com a vinda das Irmãs o Colégio foi fechado. Encerrava, pois, aquele capítulo na vinda do Recolhimento, nascendo o Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição de Macaúbas, que passou a observar os Estatutos da Ordem da Imaculada Conceição.
Atualmente vivem no Mosteiro 18 Irmãs Professas de Votos Solenes; vivem a espiritualidade da Ordem da Imaculada Conceição.
A graça de Deus não foi estéril no Recolhimento, no Colégio e, atualmente no Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição de Macaúbas, que abriga as Irmãs da Ordem da Imaculada Conceição, fundada por Santa Beatriz da Silva e Menezes, em Toledo na Espanha.Nossa atitude hoje é celebrar a Ação de Graças a Deus pelos inúmeros benefícios recebidos.


9 comentários:

Luciana disse...

Ficou lindo

Vida Contemplativa disse...

Olá,
Parabéns!!!!!!!
Está um show o blog!!!
Um abraço

Virginia disse...

Minhas queridas Irmãs Concepcionistas.
Ao visitar o blog, que produziram, fiquei emocionada com a beleza das fotos e fatos históricos que nos diz, um pouco, da vida que levam com tamanha simplicidade e sabedoria.
Quero parabenizá-las. Que DEUS AS ABENÇÕE SEMPRE.
Meu abraço carinhoso.
Virginia Borja Pereira

Eliana disse...

Irmãs,
Como ficou lindo! As fotos então, ficaram MARAVILHOSAS! As senhoras estão de parabéns! Todos nós gostamos muito.
Com carinho,
Marcinha Dutra e família

choufer disse...

muito bonito parabens........

Silvana disse...

Lindo o mOsteiro e mais linda sua história! Gostaria de me comunicar com algum responsável pois tive uma tia avó que foi com suas irmãs estudar no Mosteiro e morreu lá. Naquele tempo só souberam de sua morte quando as outras retornaram a Abaeté. Precisava de algum documento del porque estou reconstruindo a história da família.

Silvana disse...

Meu email: silvanalino@rapidus.com.br

Assunção disse...

Gostei muito do blog e tenho muita vontade de visitar, mas não encontro informação de como chegar. Não tenho carro e gostaria de saber como chegar de transporte público? Voces podem ajudar?
obrigada, parabéns pelo blog.

CASSIANE SCHMIDT disse...

Olá, gostaria de saber o telefone para contato, quero poder estar auxiliando este trabalho tão abençoado!